DIPHYLLEYA GRAYI

Skeleton flower transformation
link da foto: http://www.interflora.com.au/htw/skeleton-flower/

Diphylleia é um grupo de pequenas ervas da família das Berberidaceae  descrito como um gênero em 1803. Ele é nativo do leste dos Estados Unidos e do leste da Ásia . 

Diphylleia grayi, também conhecida como a flor esqueleto, tem pétalas brancas que ficam transparentes com chuva. Quando seca, elas revertem para branco.

Espécies 
  1. Diphylleia cymosa Michx -. sul Appalachians de SW Virginia para NW Georgia
  2. Diphylleia grayi F.SchmidtCabo de soja no norte do Japão [6]
  3. Diphylleia sinensis HLLiChina ( Gansu , Hubei , Shaanxi , Sichuan , Yunnan )

Fonte:https://en.wikipedia.org/wiki/Diphylleia

Anúncios

Kniphofia – o Lírio Tocha

Lírio Tocha
http://www.tocadoverde.com.br/lirio-tocha-kniphofia-uvaria.html

 File:Kniphofia uvaria.jpg

https://en.wikipedia.org/wiki/Kniphofia_uvaria

Autor: Toby Hudson

Rizoma de Lírio-tocha, da espécie Kniphofia uvaria, uma planta herbácea, com lindas flores exóticas.

Suas folhas são verdes, afiladas, longas com margens serrilhadas. No entanto, o que chama a atenção nesta espécie são suas inflorescências, altas, compostas por numerosas flores tubulares. Com um belo colorido em degradé, as flores se abrem de baixo para cima, conferindo cor vermelho vivo no topo da inflorescência, passando pelo laranja até chegar na base, de cor amarela.

A floração ocorre na primavera e verão. É muito adequado para o plantio isolado ou em grupos, na formação de bordaduras e maciços. Atrai os beija-flores.

Devem ser cultivados sob sol pleno em solo fértil, leve, muito bem drenado e enriquecido com matéria orgânica, com regas no verão. Tolerante ao frio e às geadas. Por causa das folhas serrilhadas, é aconselhável utilizar luvas para manipular esta planta.

PLANTIO: Ano todo. Plantar o rizoma a cada 50 cm ou mais um do outro. Deixar espaço para a formação das touceiras. A floração ocorrerá no final do inverno seguinte ao plantio. Não tolera excesso de água.

Rizoma destinado unicamente para cultivo ornamental.

Nome botânico Kniphofia uvaria
Nome popular Lírio-tocha
Clima Semi-árido, Subtropical, Temperado, Tropical
Luminosidade Sol Pleno
Altura da planta 60 a 90 cm
Espaçamento 45 a 60 cm entre plantas
Cor das flores Laranja, Vermelho
Cor da folhagem Verde
Época de plantio Inverno, Outono, Primavera, Verão, Ano todo em clima quente
Época de floração Verão, Primavera
Características Atrai abelhas, Atrai borboletas, Atrai pássaros, Ornamental, Pode ser plantada em vasos, Pode ser usada como Flor de corte
Mais informações Lírio-tocha no Jardineiro.net

http://www.tocadoverde.com.br/lirio-tocha-kniphofia-uvaria.html

As Belas Azaleias do Kumoroyama Park, em Shizuoka

Fonte da Imagem: itospa.com

Fonte da Imagem: itospa.com

Fonte da Imagem: itospa.com

As Belas Azaleias do Kumoroyama Park, em Shizuoka


Se você gosta de azaleias e mora na província de Shizuoka ou arredores, aproveite para conhecer o Komuroyama Tsutsuji Park. É um parque localizado na cidade de Ito, na encosta do Monte Komuro, onde 100 mil azaleias florescem na primavera, mais especificamente entre o final de abril e início de maio.

O Monte Komuro tem 321 metros de altura e é rodeado por uma floresta natural e por canteiros de flores. Possui um Observatório de onde os visitantes podem ter uma visão panorâmica de todo o parque, das ilhas Ojima e Nijima e dos montes Amagi, Hakone e Fuji.

Kumoroyama Tsusuji Park possui 35 mil metros quadrados e é conhecida por seus mais de 40 tipos de azaleias que se estendem pelo parque como um tapete pink avermelhado. Mas o parque tem outras atrações como uma praça de dinossauros, quadras de tênis e um majestoso jardim de Camélias.

Em meados de maio, o Kumoroyama Park recebe milhares de visitantes para o Tsusuji Matsuri (Festival das Azaleias). Durante o festival, ocorrem vários eventos interessantes. 

SAXIFRAGA STOLONÍFERA

Saxifraga stolonifera - United States Botanic Garden - DSC09506.JPG
“Saxifraga stolonifera – United States Botanic Garden – DSC09506” por Daderot – Obra do próprio. Licenciado sob CC0, via Wikimedia Commons – http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Saxifraga_stolonifera_-_United_States_Botanic_Garden_-_DSC09506.JPG#/media/File:Saxifraga_stolonifera_-_United_States_Botanic_Garden_-_DSC09506.JPG
Saxifraga stolonifera Harvest Moon 2.jpg
“Saxifraga stolonifera Harvest Moon 2” by Stan Shebs. Licensed under CC BY-SA 3.0 via Wikimedia Commons – http://commons.wikimedia.org/wiki/File: Saxifraga_stolonifera_Harvest_Moon_2.jpg#/media /File:Saxifraga_stolonifera_Harvest_Moon_2.jpg
http://www.plantsrescue.com/saxifraga-stolonifera/

Alguns jardineiros acham-na parecida com uma fada. Eu também acho, reparem nas pétalas maiores que parecem duas asinhas”. Seu nome científico é Saxifraga Stolonifera. Gosto mais de chama-la fadinha.

Trata-se de uma espécie presente no território português, nomeadamente no Arquipélago dos Açores e no Arquipélago da Madeira.

Em termos de naturalidade é introduzida nas duas regiões atrás referidas.

Uma flor escandalosa: a bougainvillea!

A sua exuberância fica muito bem utilizada como cerca viva pois tanto embeleza como protege pois embora não pareça possui muitos espinhos. Talvez tenha sido esta exuberância que fez com que também a chamassem de primavera, ninguém melhor para representar a estação das flores!
Uma cerca viva e muito exuberante. http://lynphea.blogspot.com.br/2013/08/muro-floral.html
Cerca viva muito linda, exuberante mesmo.

Se desejar uma beleza selvagem, deixe-a crescer ao seu bel prazer em um canto do terreno e verá como ela vai tomando formas graciosas e as vezes estranhas.

Crescimento totalmente livre,

Que tal colocá-la  decorando a entrada da casa, dando as boas vindas a todos os visitantes?

Bougainvillea is lovely when it blooms and frustrating when it doesn't.
http://homeguides.sfgate.com/make-bougainvillea-bloom-70528.html

Embelezando um pergolado não tem igual.

Numa pérgola protege completamente dos rigores do sol de verão e ao mesmo tempo dá um visual deslumbrante.
Emoldurando uma janela fica muito importante.

 

 

Até pode formar um belo bonsai ! A bougainvillea é uma planta muito forte e resistente e pra quem está começando nesta arte de criar bonsai ela é uma boa escolha.

AS FLORES SÃO A “ILUMINAÇÃO” DAS PLANTAS (Para meditar no silêncio de um jardim)

Samambaia, provavelmente Dicksonia antarctica
“Fern02”. Licenciado sob GFDL 1.2, via Wikimedia Commons – http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Fern02.jpg#mediaviewer/File:Fern02.jpg

Sacred lotus Nelumbo nucifera.jpg
Autor: T.Voekler http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Sacred_lotus_Nelumbo_nucifera.jpg

EVOCAÇÃO
Terra, 114 milhões de anos atrás, de manhã, logo após o nascer do sol: a primeira flor que aparece no planeta abre-se para receber os raios solares.


Antes desse formidável acontecimento, que representa uma transformação evolucionária na vida das plantas, o globo já estivera coberto de vegetação por milhões de anos. A primeira flor provavelmente não durou muito tempo.

As flores devem ter permanecido como um fenômeno raro e isolado porque talvez as condições ainda não fossem favoráveis à plena ocorrência do florescimento. Um dia, porém, um limite crítico foi alcançado e, de repente, deve ter se dado uma explosão de cores e perfumes por toda a Terra – isso é o que uma consciência observadora teria visto se estivesse presente.


Muito tempo depois, esses seres delicados e fragrantes que chamamos de flores viriam a desempenhar um papel essencial na evolução da consciência de outras espécies. Cada vez mais, os seres humanos seriam atraídos e se sentiriam fascinados por eles.

É provável que as flores tenham sido a primeira coisa que a consciência da espécie humana começou a valorizar enquanto se desenvolvia, mesmo que elas não tivessem um propósito utilitário imediato, isto é, que não estivessem vinculadas de alguma maneira à sobrevivência.

No decorrer dos tempos, as flores foram a fonte de inspiração de incontáveis artistas, poetas e místicos. Jesus pede-nos que as contemplemos e que aprendamos com elas sobre como viver.

Diz-se que, em determinada ocasião, Buda teria proferido um “sermão silencioso” enquanto segurava uma flor e a apreciava. Após algum tempo, um monge chamado Mahakasyapa começou a sorrir diante dos presentes. Ele teria sido o único a entender o sermão.

De acordo com a lenda, aquele sorriso (isto é, a compreensão) foi transmitido às gerações seguintes por 28 mestres sucessivamente e, muito tempo depois, tornou-se a origem do zen.


Contemplar a beleza de uma flor poderia despertar os seres humanos, ainda que por um breve momento, para a beleza que constitui uma parte essencial do seu próprio ser mais profundo, sua verdadeira natureza.

O início do reconhecimento da beleza foi um dos acontecimentos mais significativos na evolução da consciência da nossa espécie. Os sentimentos de alegria e amor estão ligados de modo intrínseco a isso. Sem que percebêssemos inteiramente, as flores tornaram-se uma expressão em termos de forma daquilo que é mais elevado, mais sagrado e, em última análise, informe, dentrode nós.

Mais efêmeras, mais etéreas e mais delicadas do que as plantas das
quais se originam, elas são como mensageiras de outra esfera, uma espécie de ponte entre o mundo das formas materiais e o informe. 

Elas não só exalam um perfume suave e agradável aos seres humanos como emanam a fragrância da esfera espiritual. Se usássemos a palavra “iluminação” num sentido mais
amplo do que o convencionalmente aceito, poderíamos considerá-las a iluminação das plantas.

Fonte: O Despertar de uma Nova Consciência,  p. 9 e 10 (Eckhart Tolle)

NOVA SURPRESA NO JARDIM – A FLOR BORBOLETA

Quem disse que toda borboleta vira lagarta? Não vira não. Esta que estão vendo aí acima não vira porque é uma linda flor que a natureza resolveu criar para brincar um pouco fazendo coisas exóticas e estranhas mas de qualquer forma muito belas.

Classificação

Nome científico: Clerodendrum myricoides

Nome popular: Flor- Borboleta

Família: Verbenaceae

Origem: Africa

Modo de Cultivo


Arbusto de textura semi-herbácea, ereto, ramificado, de folhas e flores ornamentais.

Inflorescências curtas, com flores azuis e formato que lembra a uma borboleta.

Apropriado para plantios isolados, a pleno sol. É sensível a geadas, sendo mais indicada para regiões tropicais e subtropicais. Multiplica-se facilmente por estacas e sementes.

Aprecia sol,solo fértil bem drenado rico em matéria  orgânica

Na cova de plantio colocar adubo animal de gado ou aves bem curtido, misturado a composto orgânico e acrescentar 100 gramas de adubo granulado tipo NPK formulação 10-10-10, misturando tudo antes de colocar o torrão.

Preencher a lateral com mais composto e apertar ao redor da muda, regando a seguir.

Manter as regas diárias por pelo menos uma semana se não houver chuvas, depois espaçar.

No verão deve-se regar mais seguido, pois é sensível à falta de água.

Tem um formato irregular e pode crescer além do esperado, mas a solução é podar a planta pelo menos duas vezes ao ano para controlar sua dimensão.

Quando realizar a poda também adubar a muda com composto orgânico e adubo animal em partes iguais regando a seguir.

Como fazer mudas?

Para fazer a propagação de mudas pode-se usar as sementes, não muito usada ou estacas de ramos.

As estacas enraizam com facilidade, bastando cortar um ramo e dividi-lo em pedaços de 15 a 20 cm de comprimento, com pelo menos duas gemas, deixando algumas folhas. Enterrar em areia ou casca de arroz carbonizada, mantendo este substrato úmido até o enraizamento.

Transplantar para sacos ou baldes plásticos até a muda atingir pelo menos 0,30 m, quando então poderá ser levada ao canteiro.

Fontes: fazfácil.net, google images