PERDOEM MINHA APARÊNCIA!

Esta é a orquídea chamada Cycnoches cooperii  que entre as orquídeas não é lá uma das mais bonitas porque nem todas as orquídeas são lindas, maravilhosas, encantadoras. Todavia,  o conceito de beleza é totalmente subjetivo e quem ama o feio bonito lhe parece. Dito isto,  estou  oferecendo a visão virtual desta surpresa do reino das orquídeas que em sua notável evolução faz de tudo para estar sempre inovando e surpreendendo com suas formas. Boa semana para todos os leitores.

CRÉDITO DAS IMAGENS:

http://www.rv-orchidworks.com/orchidtalk/orchids-other-genera-bloom/16654-cycnoches-cooperi.html

Anúncios

kovachii Phragmipedium.

Foto de Orchi – http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Phragmipedium_kovachii_Orchi_2012-09-21_026.jpg

Foto de Robert – http://www.slippertalk.com/forum/showthread.php?t=24004

Phragmipedium peruvianum ( no. kovachii Phragmipedium ) é uma espécie da família das orquídeas . Eles são encontrados no norte do Peru e é protegido pela CITES por causa da ameaça de extinção.

É uma planta com crescimento terrestre simpodial apresenta rizomas em que estão localizados vários botões que são grupos de folhas brotando e após algum tempo de crescimento destes; brota do botão floral central ou espata . As raízes são 4 mm de diâmetro e medindo 64 mm de comprimento. As folhas verde claro são dobrados. A inflorescência é 23-25 ​​cm de diâmetro de cores salmão, framboesa, roxo. As flores abrir consecutivamente com uma bráctea de 7-9 cm de comprimento (I escapar). O ovário é marrom longo 8 centímetros com uma bráctea 4-5,5 cm de comprimento. Falta articulações. As sépalas são algo côncavo marrom dourado. As pétalas são elíptica 6 x 4.8 cm. O lábio é 5,5 a 7,5 x 3,5 a 4 cm.

Os seus habitats naturais são: florestas tropicais nuvem da selva peruana Norte ( Região do Amazonas e San Martín Região ) entre 1600-1900 m , há precipitação anual de 1000-1500 mm eo temperture é de 26 ° C no verão e 18 ° C no inverno . O substrato geológico da planta é o calcário Cretáceo. O solo dessas florestas são calcário misturada com matéria orgânica.

  • pH do solo: 7,9 (ligeiramente alcalino )
  • pH da água 6,0-6,5 :: habitat
  • A condutividade elétrica: 0,41 dS / m (deciSiemens por metro)
  • Carbonato de cálcio : 85,7%
  • A matéria orgânica: 1,5%
  • Fósforo : 1,9 ppm
  • Potássio : 60 ppm
  • Em maio de 2002, James Michael Kovach uma florista Virginia Estados Unidos , planejado uma viagem para o Peru junto com seu amigo Lee Moore, um comerciante de orquídeas. Já na selva peruana, a 28 de maio de 2002 chegou El Progresso, uma aldeia na região de San Martin , e uma loja foi oferecido um chinelo orquídeas como quase do tamanho da palma de uma mão e muito coloridos que comprei 3 potes. Naquela mesma noite, Moore diz: Esta é a sua chance. Você encontrou o Santo Graal das orquídeas.Kovach chegou em Miami em 04 de junho de 2002 transportando 300 orquídeas e pelo menos uma cópia de um Phragmipedium mesmo sem identificar e deu o “Marie Selby Botanical Gardens” de Sarasota. Não foi descrito por JT Atwood, S. Fernández Dalstron e publicar essa descrição em um suplemento da revista Selbyana o mesmo jardim em12 de junho de 2002 . Kovachi sugere que o nome leva seu nome e ser Phragmipedium kovachii.

    Antes de publicar Selbyana, Dr. Eric A. Christenson , expert “Orchid Society of America”, que já publicou dois livros sobre orquídeas peruanas, fez uma descrição e enviou o manuscrito revista Orchids antes que a jardins Selby descrito em um suplemento. Eric Christenson indica que Kovach sabia do nome Phragmipedium peruvianum a proposta e chamar seu nome Phragmipedium kovachii estar a cometer um crime. A descrição de Christenson adiada Orquídeas mais longos publicados no 17 junho de 2002 chamando-Phragmipedium peruvianum.

    Em maio de 2002, Christenson, estava recebendo fotos desta orquídea, descrevendo suas características, sem retirar a planta de seu habitat, mantendo a coleção no Peru.

    De acordo com a Convenção Internacional para a “Comércio de Espécies Ameaçadas” (CITES), esta planta era uma orquídea “sapatinho” em perigo e não podem ser retirados do seu habitat.

    Em 20 de junho de 2002 a “Marie Selby Botanical Gardens” já em dificuldades para o governo do Peru foram solicitadas a “Serviço de Proteção da Vida Marinha e da Vida Selvagem” Kovach obrigado a devolver a planta foi ilegalmente retirado do Peru. Este autoridades federais começou uma investigação de contrabando.

    O governo do Peru pediu para confiscar todas as cópias desta orquídea, ordenando o Instituto Nacional de Recursos Naturais do Peru (Inrena) para conceder licenças, enquanto o “Serviço de Proteção da Vida Marinha e da Vida Selvagem” US inquéritos efectuados contrabando .

    No dia 10 de Junho de 2004 o júri Tampa (Estados Unidos) declarou culpado de contrabando de plantas selvagens ameaçadas de extinção Kovach e posse ilegal de orquídeas. Eles também foram acusados ​​de “Marie Selby Botanical Gardens.” Kovach foi condenado a dois anos de liberdade condicional e multado em US $ 1.000.

    Em novembro de 2006, o Dr. Paul van Rijckevorsel propôs eliminar Selbyana Suplemento de 2002 indicando o nome kovachii Phragmipedium.

  • A proposta nomenclatural foi apresentada em 2006, para declarar o nome₢inválido e adicionar seu original ad hoc publicação “Selbyana vol. 23 Supplement” para a ” ópera Utique oppressa “( ICN Anexo VI). Contra-argumentos foram apresentados em vários artigos.  A Comissão de Nomenclatura de Plantas Vasculares se recusou a aceitar a proposta, afirmando que “se todos os nomes com base em espécimes coletados ilegalmente ou em homenagem a pessoas que agiram imprudentemente … deviam ser rejeitados, poderemos ter instabilidade em algumas das principais nomenclaturas “.  O Congresso Internacional de Botânica de 2011, posteriormente aceitou a recomendação do comitê.

  • Fonte: http://es.wikipedia.org/wiki/Phragmipedium_peruvianum

GÊNERO MASDEVALLIA (Orquídeas incomuns)

Masdevallia Angel Tang (Híbrido entre: Masdevallia veitchiana x Masdevallia tonduzii.)

Produção: divisão. Tipo: híbrido. Tamanho da muda: adulta. Cultivo: fácil desde que em local fresco e úmido. Floração: qualquer época, frequente. Duração das flores: uma semana. Tamanho quando adulta: até 30cm. Tamanho da flor: 7 cm. Quantidade de flores: 1 por haste, diversas em sucessão

A Masdevallia é um gênero com cerca de 350 espécies usualmente de região montanhosa fria  e nublada dos tópicos do Novo Mundo.  São conhecidas pelas flores atraentes  de sépalas fundidas em uma estrutura de tubo.  De origem de região fria e úmida faz dela uma boa escolha para locais amenos ou clima costal. A maioria das espécies e híbridos são compactos suficientes e podem facilmente se acomodar nos  parapeitos das janelas.

Para sucesso no desenvolvimento deste gênero observar :

Luz : Luminosidade de 1.000 a 1.500 velas, 2 horas de luz solar filtrada por dia.

Temperatura :  Temperatura recomendada  durante o dia de 18 a 24º C e à noite de  13 a 16º C.  Requer cuidados em temperatura  acima de 27º C durante o dia.

Rega : Devem ser constantemente molhadas, porque as plantas possuem muito pouca reserva de água.  As raízes devem ficar quase secas antes de regar novamente.  Recomenda-se regá-las 1 a 2 vezes por semana.

Umidade  : é um fator crítico para a cultura, o ideal é de  60 a 80%. Movimento do ar é essencial devido à umidade do ar do ambiente.

Adubação:  Recomenda-se  a aplicação bem diluída regularmente  em plantas em atividade de desenvolvimento.  Aplicar a formulação 30-10-10 2 vezes ao mês em plantas com substrato de casca de pinus  20-20-20 em outros substratos.

Replantio:  o melhor período é no inverno ou início da primavera, antes do calor do verão.

As plantas devem ser reenvasadas frequentemente, cada 1 ou 2 anos, antes que o substrato se decomponha. Utilizar  substrato de casca de pinus de granulação fina ou esfagno em vaso de plástico.

A planta deve ficar no centro do vaso  para  permitir que os novos brotos se desenvolvam ocupando toda a superfície do vaso, acomode as raízes dentro do vaso e preencha o espaço vazio com o substrato fixando bem a planta.

Mantenha a umidade bem alta e o substrato ligeiramente úmido  até que novas raízes comecem a surgir.

Fonte: http://www.orquideasdemairipora.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=82&Itemid=83

Nota: Nota: Este gênero de orquídeas possui espécies para todas letras do alfabeto !

CORYANTHES

Foto de Iam Morton em https://www.flickr.com/photos/hickatee/5907451734/

Vamos e convenhamos esta esquisitérrima parece um pato? Um barco, um pênis pequenininho? ou o que será?


É apenas a espécie Coryanthes speciosa.

Coryanthes, conhecido popularmente pelo nome bolsa de pastor, é um gênero botânico pertencente à família das orquídeas (Orchidaceae). Foi proposto por Hooker em Botanical Magazine 58: t. 3102, em 1831. A Coryanthes maculata Hooker é sua espécie tipo.


O nome deste gênero (Crths.) deriva da latinização de duas palavras gregas: κόρυς (kórys), que significa “capacete”; e ανθος – ανθεος(anthos, antheos) , que significa “flor”, referindo-se à forma do epiclino do labelo de sua flor.

Apresentam pseudobulbos agregados, cônicos, profundamente sulcados longitudinalmente, por vezes mais lisos, bastante rígidos, em regra com duas folhas lanceoladas grandes, herbáceas, algo plicadas, com multinervuras dorsalmente destacadas. A inflorescência é basal, longa, na parte terminal com poucas espaçadas flores de pedúnculo rijo, pendente ou ascendente depois arcada, de modo a que as flores fiquem suspensas na posição exata para que seu mecanismo de polinização funcione corretamente.

A flores de Coryanthes possuem sépalas e pétalas grandes de consistência membranácea. A sépala dorsal oblongo-lanceolada e laterais ovaladas, fortemente retorcidas ou onduladas. As pétalas são oblongo-lanceoladas. O labelo é carnoso, rígido, e tem estrutura muito complexa, com longo unguiculo, hipoquílio, ou a parte do labelo próxima da coluna, em forma de capacete aberto solidamente ligado à coluna, mesoquílio, ou a parte intermediária do labelo, espessado, denteado, longo; epiquílio, ou extremidade do labelo, grande, em forma de capacete invertido quase quadrangular, com ápice tridentado ou calos e pulvínulos variados.

Junto à base da coluna de suas flores há dois cornos que funcionam como bicas, de onde brota um líquido doce e pegajoso que pinga em um balde formado pelo epiquílio. Sua finalidade é fazer as formigas caírem no balde, e ao saírem pela estreita abertura sob a antera e o estigma, formada pelo labelo e extremidade da coluna, levarem as duas polínias nas costas ou caso já tragam alguma, polinizarem a flor.

Coryanthes pertence a um grupo da subtribo Stanhopeinae, formado por StanhopeaSievekingia, e Embreea

Lista de espécies

  • Coryanthes albertinae
  • Coryanthes alborosea
  • Coryanthes angelantha
  • Coryanthes bergoldii
  • Coryanthes bicalcarata
  • Coryanthes boyi
  • Coryanthes bruckmuelleri
  • Coryanthes cataniapoensis
  • Coryanthes cavalcantei
  • Coryanthes dasilvae
  • Coryanthes elegantium
  • Coryanthes elianae
  • Coryanthes feildingii
  • Coryanthes flava
  • Coryanthes gerlachiana
  • Coryanthes gernotii
  • Coryanthes gomezii
  • Coryanthes gustavo-romeroi
  • Coryanthes horichiana
  • Coryanthes hunteriana
  • Coryanthes javieri
  • Coryanthes kaiseriana
  • Coryanthes lagunae
  • Coryanthes leferenziorum
  • Coryanthes leucocorys
  • Coryanthes macrantha
  • Coryanthes macrocorys
  • Coryanthes maculata
  • Coryanthes maduroana
  • Coryanthes mastersiana
  • Coryanthes melissae
  • Coryanthes minima
  • Coryanthes misasii
  • Coryanthes miuaensis
  • Coryanthes oscarii
  • Coryanthes pacaraimensis
  • Coryanthes panamensis
  • Coryanthes pegiae
  • Coryanthes picturata
  • Coryanthes powellii
  • Coryanthes punctata
  • Coryanthes powellii
  • Coryanthes recurvata
  • Coryanthes seegeri
  • Coryanthes selbyana
  • Coryanthes senghasiana
  • Coryanthes speciosa
  • Coryanthes thivii
  • Coryanthes toulemondiana
  • Coryanthes tricuspidata
  • Coryanthes trifoliata
  • Coryanthes vasquezii
  • Coryanthes verruclinata
  • Coryanthes vieirae
  • Coryanthes villegasiana

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Coryanthes



ORQUÍDEAS NEGRAS – BRASILIORCHIS SCHUNKEANA

 

phpvCJQSo

http://www.orquidariocuiaba.com.br

 

Conhecida como: Maxillaria schunkeana M.A. Campacci & R.A. Kautsky 1993;
Sinônimo: Brasiliorchis schunkeana (Campacci & Kautsky) R.B.Singer, S.Koehler & Carnevali 2007;
Origem: Mata Atlântica, Brasil – entre 600 e 700 metros de altitude;
Planta: Epífita, 15 centímetros;
Flor: 1 centímetros;
Época de floração: primavera e outono, normalmente;
Longevidade das flores: 15~20 dias;
Fragrância: não;
Luminosidade: média;
Umidade: média;
Temperatura: média;

Essa espécie gosta de locais sombreados e muito úmidos, mas não de água parada nas raízes. A melhor forma de cultivá-la é em vaso de barro furado, com uma camada de pedras, isopor ou cacos de telhas no fundo, para que o excesso de água escorra rapidamente. O substrato mais usado é uma mistura de casca de pinus e pedaços de carvão, mas em locais onde venta muito você pode incluir um pouco de esfagno perto das raízes.

Como tem pseudobulbos bem pequenos, a orquídea-negra não consegue armazenar muitos nutrientes e, em casas e apartamentos, fica dependente da adubação semanal, com NPK 20-20-20, diluído na proporção de 1 colher de chá para 1 litro de água, borrifados na planta toda. Na natureza, ela se fixa em árvores e rochas criando touceiras que “agarram” restos de galhos, folhas e outros materiais orgânicos – ao se decompor, eles oferecem nutrientes fundamentais à planta.

Fontes: http://minhasplantas.com.br/plantas/orquidea-negra/

http://www.orquideas.eco.br/1001-brasiliorchis-schunkeana/

CALEANA MAJOR OU PÁSSARO VOADOR

A formosa e extremamente rara orquídea pato voador 01
http://www.mdig.com.br/?itemid=27313
A formosa e extremamente rara orquídea pato voador 04
Caleana major – pato voador http://www.mdig.com.br/?itemid=27313
Caleana major
http://aggregata.blogspot.com.br/2013/11/the-hunt-for-caleana-major-aka-flying.html Orquídea Caleana em seu habitat
http://aprendendocomasorquideas.blogspot.com.br/2013/10/um-pato-voando-ou-uma-orquidea.html

Originária da Austrália é muito apreciada por colecionadores devido a este formato diferente, que lembra muito patos de asas abertas, formato que ela utiliza para a trair insetos para a polinização

Caleana grande , o Pato Voador Orquídea é uma pequena orquídea encontrada no leste e no sul da Austrália . Esta planta terrestre caracteriza por sua  flor notável, assemelhando-se um pato em vôo. A flor é um atrativo para insetos, como masculinos vespões que polinizam a flor em um processo conhecido como pseudocópula . Em 1986, esta orquídea foi destaque em um selo postal australiano

Esta Caleana  é encontrada como uma erva terrestre, até 50 cm (20 pol) de altura. 2-4 flores crescem no caule verde. ]A folha única, aparece perto da base do caule. É geralmente prostrado, estreito-lanceoladas, de 12 cm (5 em) de comprimento e 8 mm de largura, muitas vezes manchadas. A flor é marrom-avermelhada, de 15 a 20 mm de comprimento. Em casos raros, a flor pode ser esverdeada com manchas escuras. A planta é polinizada por insetos.   Polinização é através vespões masculinos. Quando o inseto toca o labelo sensível que se fecha, prendendo o inseto no corpo pegajoso da coluna. Ele deposita o pólen pode estar carregando e pega mais. Em seguida, é liberado para voar para a orquídea seguinte. A floração ocorre de setembro a janeiro.

São encontradas a partir de Queensland na Austrália do Sul e até mesmo Tasmânia , esta planta é encontrada em florestas de eucalipto  no litoral ou matagal pantanoso e charnecas . Principalmente perto da costa, mas, ocasionalmente, em altitudes mais elevadas.  Por causa do tamanho pequeno, ela é uma planta difícil de se perceber na natureza.

O gênero Caleana foi nomeado por George Caley , um colecionador  botânico  como “maior”, principal refere-se ao contraste com  outra  orquídea Pato de menor porte, as Paracaleana menores .

O espécime original desta planta foi coletada no ponto de Bennelong , o local atual da Ópera de Sydney , em setembro de 1803.  Em 1810, a espécie foi publicada originalmente na literatura científica, Prodromus Florae Novae Hollandiae , de autoria do prolífico botânico escocês, Robert Brown .

Caleana principal tem sido difícil de manter em cultivo. As  plantas florescem durante  um ou dois anos, mas, por vezes, enfraquecem progressivamente até morrerem. 

Reino: Plantae
(Sem classificação): Angiospermas
(Sem classificação): Monocotiledôneas
Ordem: Asparagales
Família: Orchidaceae
Subfamília: Orchidoideae
Tribo: Diurideae
Subtribo: incertae sedis
Gênero: Caleana
Espécie: C. major

Fontes: wikipédia

GHOST ORCHID

A orquídea fantasma em inglês : Ghost Orchid (nome científico, Polyrrhiza lindenii) – não se deve  confundir com a “orquídea fantasma” euroasiática (Epipogium aphyllum)  É  uma planta perene Hemicriptófito da famÍlia das orquídeas (Orchidaceae). Anteriormente incluida em Dendrophylax, esta orquídea foi transladada recentemente para o  gênero Polyrrhiza.

Nomes comuns
:

Além de Ghost Orchid (orquídea fantasma), outros nomes comuns desta orquídea são : Palm Polly y White Frog Orchid.

Sinónimos :

    • Aeranthes lindenii (Lindl.) Rchb.f. in W.G.Walpers, Ann. Bot. Syst. 6: 902 (1864).
    • Angraecum lindenii Lindl., Gard. Chron. 1846(1): 135 (1846).
    • Dendrophylax lindenii (Lindl.) Benth. ex Rolfe
    • Polyradicion lindenii (Lindl.) Garay, J. Arnold Arbor. 50: 467 (1969). (este nome ainda é utilizado por numerosos autores).

Na base de dados del “World Checklist of Monocotyledons” do Real Jardín Botânico de Kew ainda se considera aceitável o nome de Dendrophylax lindenii, enquanto que Polyrrhiza lindenii é considerado como una sinonímia homotípica. O epíteto “lindenii” se deve a seu descobridor, o belga  Jean J. Linden que viu esta orquídea pela primeira vez en Cuba en 1844. Mais tarde foi encontrada nos Everglades da Flórida.

Habitat

Esta orquídea é epífita, é encontrada em bosques húmidos e zonas pantanosas da Flórida ao sudeste dos EE. UU., nas Bahamas y Cuba.

Una « ghost orchid » foi observada no verão de 2007 no Corkscrew Swamp Sanctuary, perto de Naples, Flórida.

Há outros gêneros de orquídeas que contém plantas semelhantes na Asia, Sudamérica e África. Mais informações podem ser encontradas em “Jays Internet Orchid Species ou Orchid Taxa” relacionadas  a estes Continentes.

Esta é una orquídea em perigo de extinção. São raramente vistas em coleções e estão sendo vendidas por un preço elevado. O cultivo desta orquídea se mostrou un fracasso fuera de seu habitat. Requer condições de cultivo muito especializadas. Entre outras exigências, requer humidade alta.  Esta orquídea se enumera no apêndice II do CITES e está protegida completamente pelo estado da Flórida e leis federais de proteção.

Descriçãoç

Esta orquídea epífita, é uma monocotiledônea excepcional, pois não possue nem caule nem folhas  que se encontram muitíssimos reduzidos. Consiste somente de raízes planas, como cordões, verdes. Estas raízes são utilizadas para a absorção da humidade e seus cloroplastos para la fotossíntese. A camada externa, o velamen, se encarrega de adquirir os nutrientes e a água. Também protege as camadas internas.

Esta orquídea florece entre junho e agosto, com uma a dez flores con fragancia, que abrem uma de cada vez. A flor branca tem de 3 a 4 centímetros de comprimento e de 7 a 9 cm de largura e se apresenta em uma espiga que se eleva através de um caule desde a raíz. O lábio inferior produz duas largas, pétalas que se torcem levemente para baixo, assemelhando-se às pernas traseiras de uma rã que salta. Suas brácteas são  finas, secas, membranosas e com aparência de papel.

Cmo as raízes desta orquídea se fundem tão bem con a árvore, a flor parece a miúdo flutuar no ar, daí seu nome de “orquídea fantasma”.

A polinização é efetuada pela mariposa esfinge gigante, o único insecto local com a probóscide  suficientemente grande. Com relação a  este aspecto, se pode dizer que esta é o equivalente americano da orquídea de Madagascar, Angraecum sesquipedale (Angraecum); que levou  Charles Darwin a predizer que alguma espécie de mariposa, então ainda desconhecida pela ciência, seria descoberta (o inseto que polinizou a orquídea ). As pessoas do seu tempo o ridicularizavam por esta afirmativa, entretanto, alguns anos mais tarde tal mariposa foi encontrada.

Curiosidades

Esta planta desempenhou un papel fundamental no livro The Orchid Thief   (O ladrão de orquídeas), e no filme  baseado no livro, Adaptation.

Referências

    1. BS Carlsward, WM Whitten, NH Williams – International Journal of Plant Sciences, 2003 – journals.uchicago.edu
    1. Classification by the World Checklist of Monocotyledons
    1. «Rare Ghost orchid found in Florida» (2007). Consultado el 30-07-2007

Fonte : Wikipedia, google images

AGORA VEJAMOS A ORQUÍDEA FANTASMA EUROASIÁTICA:  A Epipogium aphyllum

File:Epipogium aphyllum-003.jpg

Foto de Hans Stieglitz

https://en.wikipedia.org/wiki/Epipogium_aphyllum

By Boris Gaberšček – http://www2.arnes.si/~bzwitt/flora/epipogium_aphyllum.html, CC BY 2.5 si, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=40880249

By BerndH – Picture taken by BerndH, CC BY-SA 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=34052

Epipogium aphyllum, a orquídea fantasma (para não ser confundido com a orquídea fantasma americano, Dendrophylax lindenii ) é um resistente myco-heterotróficos orquídea falta de clorofila .

É famosa por sua aparência imprevisível; em muitas localidades, tem sido visto apenas uma vez. Pode ser encontrada nos faia, carvalho, pinheiro e abeto florestas em solos ricos em base. É uma planta rara e criticamente ameaçadas no habitat, e acredita-se estar extinta durante a maior parte de sua escala anterior, apesar de ter sido recentemente confirmada no Reino Unido, uma área onde se acreditava que as plantas foram extintos.

As plantas são protegidos em muitas localidades, e remover as plantas de habitat ou perturbar as plantas, mesmo para o estudo científico, pode ser um assunto muito sério em muitas jurisdições. Estas plantas são excepcionalmente raro e não deve ser removido do habitat ou perturbado. 

Uma vez pensado para ser saprófitas , estas plantas resistentes são realmente obrigar mycoheterotrophs (ou epiparasites ) que obtêm os nutrientes dos micorrízicos redes que envolvem Basidomicetos fungos que por sua vez são associados com as raízes de várias espécies de árvores coníferas. Eles crescem a partir de um metro, enterrando-tronco que não tem clorofila e possui folhas efêmeras que são pequenas escalas. As plantas só emergem acima do solo em flor, especialmente durante os verões muito úmidos na Europa Ocidental.

As plantas têm uma gama extremamente ampla de distribuição. A espécie é comum em grande parte da Europa e do norte da Ásia a partir de Espanha para Kamchatka e do sul dos Himalaias . É, no entanto, excepcionalmente raro no habitat. As plantas são encontradas em áreas que normalmente experimentam invernos frios. Da planta rizomas são densamente colonizados por fungos rolamento braçadeira-conexões e dolipores, todos os basidiomicetos , guelras ou formadoras de poros cogumelo espécies que normalmente são encontrados crescendo em micorrízicos associação com as raízes das coníferas árvores.

Estas plantas aproveitar uma variedade de fungos simbiontes em várias famílias, muitas vezes simultaneamente. A análise destas plantas identificaram Inocybe espécie como exclusivos simbiontes por 75% das plantas em habitat, bem como outros ( Hebeloma , Xerocomus ,Lactarius e Thelephora ). As plantas também acolher ascomicetes endófitos , que aparecem para ajudar a planta em parasitando alguns dos simbiontes basidiomicetos da planta. 

As plantas desafiam o cultivo fora das condições de laboratório, uma vez que exigem não só específica fungos simbiontes , mas também árvores hospedeiras específicas com que estas espécies de cogumelos formam micorrízicos relacionamentos. Grandes plantas desta espécie podem produzir uma exibição da floresta em vez impressionante com até um talos dúzia de flores de uma só vez tendo 3-4 flores cada crescem fora da maca da folha de coníferas. 

FONTE: https://en.wikipedia.org/wiki/Epipogium_aphyllum