RAINHA DAS ORQUÍDEAS

Cattleya-labiata1

Uma das histórias mais fascinantes do mundo orquidófilo é a da Cattleya labiata, que foi a primeira Cattleya com flores grandes descrita pelo homem.

No ano de 1818, William Swaison, um coletor de plantas britânico, enviou um lote de plantas ornamentais do nordeste do Brasil para a Inglaterra.

Junto com elas e sem muito destaque vieram bulbos de orquídeas que quando floriram nas estufas de William Cattley causaram enorme sensação entre os amantes das plantas daquela época. Cattley chamou um botânico para descrevê-la e deram-lhe o nome de Cattleya labiata.

 

Swaison, após enviar estas plantas foi até a Região do Rio de Janeiro de onde enviou mais um lote com outras plantas e depois foi para a Nova Zelândia para outra viagem de coletas e desapareceu, levando junto a informação de onde havia encontrado a Cattleya labiata.

 

Especulações na época levaram os colecionadores a acreditar que ela teria sido encontrada perto do Rio de Janeiro e mandaram inúmeras expedições para encontrar o habitat natural desta planta, obviamente sem sucesso pois a mesma havia sido coletada em Pernambuco.

Por mais de 70 anos ela foi tida como “a orquídea perdida” até que em 1889 foi redescoberta por uma pessoa que procurava insetos no interior de Pernambuco e resolveu mandar algumas orquídeas de flores grandes e rosadas para o senhor Moreau de Paris, que estava pagando sua viagem. Haviam localizado o paradeiro da orquídea que tanto havia intrigado os colecionadores europeus!

A CATTLEYA LABIATA É A PERNAMBUCANA RAINHA DAS ORQUÍDEAS

 

Fontehttp://www.orquidariosorchis.com.br/

Crédito da imagem: http://i0.wp.com/www.assope.com.br/wp-content/uploads/2013/03/Cattleya-labiata1.jpg

Anúncios

CATTLEYA LABIATA, A PERNAMBUCANA RAINHA DAS ORQUÍDEAS

Cattleya labiata – IMAGEM GOOGLE

Uma das histórias mais fascinantes do mundo orquidófilo é a da Cattleya labiata, que foi a primeira Cattleya com flores grandes descrita pelo homem.

No ano de 1818, William Swaison, um coletor de plantas britânico, enviou um lote de plantas ornamentais do nordeste do Brasil para a Inglaterra. Junto com elas e sem muito destaque vieram bulbos de orquídeas que quando floriram nas estufas de William Cattley causaram enorme sensação entre os amantes das plantas daquela época. Cattley chamou um botânico para descrevê-la e deram-lhe o nome de Cattleya labiata.

Swaison, após enviar estas plantas foi até a Região do Rio de Janeiro de onde enviou mais um lote com outras plantas e depois foi para a Nova Zelândia para outra viagem de coletas e desapareceu, levando junto a informação de onde havia encontrado a Cattleya labiata.

Especulações na época levaram os colecionadores a acreditar que ela teria sido encontrada perto do Rio de Janeiro e mandaram inúmeras expedições para encontrar o habitat natural desta planta, obviamente sem sucesso pois a mesma havia sido coletada em Pernambuco.

Por mais de 70 anos ela foi tida como “a orquídea perdida” até que em 1889 foi redescoberta por uma pessoa que procurava insetos no interior de Pernambuco e resolveu mandar algumas orquídeas de flores grandes e rosadas para o senhor Moreau de Paris, que estava pagando sua viagem. Haviam localizado o paradeiro da orquídea que tanto havia intrigado os colecionadores europeus!

Nota: Para mim é a rainha de todas as orquídeas como a rosa é a rainha de todas as flores.