Orquídeas de Pernambuco e algumas espécies do Jardim Botânico do Recife

Orquídea da coleção do Jardim Botânico do Recife

A seguir uma contribuição para os  apreciadores das orquídeas.


Classificação

A classificação das orquidáceas é um ponto importantíssimo e fundamental, não só do ponto de vista dos estudos, mas também para seu cultivo. É através da classificação que seu modo de cultivo é determinado.


As plantas foram classificadas em famílias, diferenciadas umas das outras pela estrutura de suas flores, hastes, folhas e raízes. Cada família é dividida em tribos e posteriormente em gêneros. De acordo com a classificação de Rudolf Schlechter, a família das orquidáceas é classificada em 85 grandes grupos (tribos), mais de 2500 gêneros e aproximadamente 35 mil espécies. As orquídeas são relacionadas em grupos de acordo com características vegetativas. Dentro das espécies encontram-se plantas parecidas, variando apenas as flores em tamanho e cores.


As orquídeas são classificadas na divisão Spermatophyta, subdivisão Angiospermae, classe Monocotyledonae, ordem Microspermae (Gynandrae) e família Orchidaceae. A família é uma das maiores plantas floríferas, englobando quase um sétimo das existentes no planeta. É composta por cerca de mil gêneros e vinte mil espécies.


O maior número de espécies ocorre nas regiões subtropicais, predominando as formas epífitas e rupícolas, enquanto as formas terrestres são mais comuns fora dos trópicos. Há diversidade no tamanho, desde aquelas com as dimensões de uma cabeça de alfinete (microorquídeas) até plantas com caules de 5 ou 6m de comprimento. Muitas pessoas acreditem que as orquídeas são parasitas, no entanto elas apenas usam o hospedeiro para fixar suas raízes.


A 1ª subfamília, as Diandrae, compreende as espécies com duas anteras férteis e é composta por duas tribos: as Cipripediloideae e as Apostasioideae. Congregam orquídeas sem caule e com flores cujos labelos têm a forma de “sapatinhos”.


A 2ª subfamília, as Monandeae, é formada por espécies com apenas uma antera fértil. É muito mais extensa e compreende todas as outras orquídeas. São tantas, que se desdobram em divisões, tribos, subtribos, séries, subséries e seções.


Divisão 1:
Basitonae- reúne as espécies com antera persistente e coluna curta, formando a tribo Ophrydoidae, que por sua vez divide-se em 8 subtribos  de plantas terrestres, com raízes tuberculosas e que perdem as folhas na época do repouso do inverno. São elas: Androcorydeae, Disiae, Dispepideae, Habenarieae, Huttoneeae, Plantanthereae, Porolabieae e Satyrieae.

Divisão 2:
Acrotonae- tem como característica principal a antera caduca, ou seja, as políneas, ao serem removidas, desprendem também a cápsula na qual está alojada. Essa divisão é reagrupada em duas tribos: as Polychondreae e Kerosphaereae. Essa última tribo também divide-se em duas séries e congrega a maioria das plantas cultivadas para fins ornamentais.

Nomenclatura
As plantas são classificadas por um nome genérico e outro restritivo específico. Assim, o primeiro nome da planta refere-se ao gênero a que pertence e o segundo à espécie. Algumas plantas podem receber um terceiro nome para indicar a variedade referente à cor, tamanho, forma,  ou modo de desenvolvimento. 


 Lista Das Espécies De Pernambuco

  • Amblostoma armeniaca (sin/syn Epidendrum armeniacum) tridactylum (sin/syn Amblostoma cernua)

 

  • Anacheilium alagoensis (sin/syn Epidendrum ou/or Encyclia alagoense), fragrans (sin/syn Epidendrum ou/or Encyclia fragrans), glamaceum (sin/syn Encyclia glumacea ou/or Epidendrum glumaceum), vespum (sin/syn Epidendrum vespum ou/or Encyclia vespa)

 

  • Aspidogyne bidentifera (sin/syn Erythrodes bidentifera), foliosa (sin/syn Erythrodes aratanhensis), kuczynskii (sin/syn Erythrodes kuczynskii)

 

  • Beadlea bicolor (sin/syn Cyclopogon bicolor), elegans (sin/syn Cyclopogon elegans)

 

  • Brassavola tuberculata

 

  • Brassocattleya – Híbridos Naturais/Natural Hybrids

 

  • B. tuberculata X C. granulosa

 

  • Bulbophyllum sanderianum

 

  • Capanemia thereziae

 

  • Campylocentrum crassirhizum, fasciola, iglesiasii, lansbergii, linearifolium, micranthum, ornithorrhynchum, pauloense, pernambucense, pernambucense, sullivanii

 

  • Catasetum appendiculatum, barbatum, barbatum fma albina, blackii, ciliatum, cristatum, discolor, hookeri, hookeri var. labiatum,  macrocarpum, purum, reichenbachianum, uncatum

 

  • Cattleya elongata, granulosa, guttata, labiata, leopoldii var. pernambucansis

 

  • Cattleya – Híbridos Naturais/Natural Hybrids X le czar (C. granulosa x C. labiata) (Sin/Syn C. X imperator) X victoria-regina (C. labiata X C. leopoldii var. pernambucense)

 

  • Chaubardia surinaemensis

 

  • Comparettia coccinea

 

  • Coryanthes speciosa

 

  • Cyclopogon candidus (sin/syn Hapalorchis rhombiglossae ou/or Hapalorchis candidus)

 

  • Cyrtopodium aliciae, andersonii, gigas, paranaense

 

  • Diadenium barkeri

 

  • Dichaea panamensis

 

  • Dimeranda emarginata

 

  • Dipteranthus duchii

 

  • Disciphus scopulariae

 

  • Elleanthus brasiliensis, linifolius

 

  • Eltroplectris calcarata

 

  • Encyclia dichroma, euosma, longifolia, odoratissima (Lindl), oncidioides, oncidioides fma roseo-alba, osmantha, pygmaea (sin/syn Hormidium tripterum), randii, tripartita

 

  • Epidendrum ansiferum, cinnabarinum, compressum, crassifolium, difforme, denticulatum, elongatum, fulgens, imatophyllum, latilabre, latifolium, nocturnum, ochrochlorum, paniculatum (sin/syn densiflorum), pernambucense, ramosum, rigidum, saxatile, secundum, schomburgkii, spruceanum, strobeliferum, vesicatum, xanthinum

 

  • Epistephium lucidum

 

  • Eulophia alta

 

  • Eurostyles cotyledon

 

  • Gomesa barkeri, recurva

 

  • Gongora aropurpurea, bufonia, nigrita, quinquenervis

 

  • Habenaria cryptophila, glaucophylla, goyazensis, hexaptera, liguliglossa, matogrossensis, petalodes, pickelii, polycarpa, pratensis, schenckii, trifida

 

  • Hexadesmia cearensis, sessilis

 

  • Ionopsis satyrioides, utricularioides

 

  • Isochilus linearis

 

  • Jacquiniella globosa, teretifolia

 

  • Lanium avicula, berkeleyi

 

  • Leochilus labiatus

 

  • Leptanthopsis floripecten

 

  • Liparis nervosa

 

  • Lockhartia goyazensis, lunifera

 

  • Lygyophila rosea

 

  • Masdevallia infracta, infracta fma atropurpures, gomesii-ferreirae

 

  • Maxillaria amazonica, camaridii, ferdinandiana, jenischiana, leucaimata, minuta, notyliglossa, ochroleuca, pendens, rufescens, villosa

 

  • Mesadenella esmeraldae

 

  • Miltonia flavescens, spectabilis

 

  • Notylia barkeri, hemitricha, longispicata, lyrata, microchila, rosea

 

  • Octomeria deltoglossa, helvola, linearifolia, oxichela

 

  • Oeceoclades maculata (sin/syn Eulophidium maculatum)

 

  • Oncidium barbatum, blanchetii, cebolleta, cebolleta fma alvina, croesus, flexuosum, gravesianum, lanceanum, phymatochilum, raniferum

 

  • Ornithidium parviflorum

 

  • Phragmipedium sargentianum

 

  • Phymatidium delicatum

 

  • Physosiphon spiralis

 

  • Pleurothallis barbullata, exarticulata, gomesii-ferreirae, lingua, minima (sin/syn marginata), ochreata, paranaensis, peduncularis, pernambucensis, pruinosa, quartzicola, rubens, rudolfii, ruscifolia, saudersiana, sclerophylla, sphaeroglossa, trifida, uniflora

 

  • Pogoniopsis schenckii

 

  • Polystachya concreta, estrellensis, foliosa

 

  • Prescottia epiphyta, microrhiza, plantaginea, stachyodes

 

  • Psygmorchis pusilla (sin/syn Oncidium pusillum ou/or Tolumnia pusilla)

 

  • Reichenbachantus emarginatus

 

  • Rodriguezia bahiensis, bracteata, leeana, pubescens

 

  • Sanderella discolor

 

  • Sarcoglottis acaulis, grandiflora, schwackei

 

  • Scaphyglottis cuneata, sicikii, violacea

 

  • Schomburgkia crispa (ou/or gloriosa)

 

  • Schomburgkia crispa (ou/or gloriosa) fma albina

 

  • Schomburgkia crispa (ou/or gloriosa) fma atroviolacea

 

  • Sobralia liliastrum

 

  • Sophronitis cernua

 

  • Stanhopea lietzei

 

  • Stelis aprica, filiformis, loefgrenii, megantha, papaquerensis

 

  • Stenorrhynchus lanceolatus

 

  • Tetragamestus modestus

 

  • Trichocentrum cornucopiae, fuscum, tenuiflorum

 

  • Trichopilia santos-limae

 

  • Trigonidium acuminatum, latifolium, tenue

 

  • Vanilla bahiana, chamissonis, denticulata, gardneri, palmarum, pompona, schwackeana

 

  • Xylobium colleyi

 

  • Zygosepalum ballii

 

  • Zygostates dazyrhisa, kuhlmanni

 

  • Warmingia eugenii

 

  • Wullschlaegelia aphylla

 

Fonte: http://www.recife.pe.gov.br/meioambiente/jb_orquidario.php

Anúncios

Publicado por

orchidsweb

Embora seja orquidófila de uma orquídea só (só possuo um exemplar) sou apaixonada por flores e entre elas as orquídeas são destaque. Por este motivo resolvi publicar em um blog minhas leituras e pesquisas sobre este tema com o objetivo de compartilhá-los com outros tão apaixonados por flores e orquídeas quanto eu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s